Candidatos confrontados só agora com o cenário


Foi pelas 12:00 de hoje que, junto das Administrações Regionais de Saúde, alguns dos candidatos perceberam que as 1.569 vagas estavam já totalmente preenchidas e que mais de 100 não iriam conseguir inscrever-se na formação para a especialidade que lhes ocupará os próximos anos.

No Norte, cerca de 30 candidatos decidiram deslocar-se até à Ordem dos Médicos em busca de uma resposta, onde se encontram reunidos desde as 14:30.

Durante os últimos dias foi lançada uma petição pública 'online', até ao momento com 1.271 assinaturas, contra a falta de vagas para formação e “todas as irregularidades que decorreram neste concurso”.

“É uma petição para contestar a falta de vagas, a formação de médicos indiferenciados e sem experiência que, como foi dito pelo Dr. Miguel Guimarães [presidente do Conselho Regional do Norte da OM], ‘não oferecem a qualidade que deveriam ter’ prejudicando acima de tudo os utentes e o funcionamento do SNS”, pode ler-se na página da petição pública.