A Unidade de Controlo Costeiro da Guarda Nacional Republicana (UCC/GNR) anunciou, esta quarta-feira, a detenção de cinco homens e a apreensão de 56 redes durante uma operação de combate à pesca ilegal no rio Mondego.

A operação de combate à pesca ilegal de meixão (enguia em estado larvar), iniciada domingo e concluída esta quarta-feira, foi levada a cabo por 30 militares do Destacamento de Controlo Costeiro da Figueira da Foz, apoiados por quatro viaturas e duas embarcações.

Resultou na detenção de cinco homens, com idades entre os 21 e os 54 anos «todos residentes no concelho de Montemor-o-Velho», refere, em comunicado, a UCC/GNR.

Os detidos foram presentes a tribunal e sujeitos a termo de identidade e residência. Foram ainda retiradas do rio Mondego 56 redes com um valor comercial estimado de 39 200 euros e aprendidos cerca de 11,2 quilos de meixão, com um valor comercial de 5 500 euros. «Todo este meixão foi de imediato devolvido ao rio», acrescenta o comunicado citado pela Lusa.



Em declarações à Lusa no início da operação, o major Jorge Caseiro, comandante do Destacamento de Controle Costeiro da Figueira da Foz, frisou que o meixão «consta do livro vermelho de espécies em perigo», considerando «essencial» o combate à pesca ilegal «para proteger a natureza e o ambiente», explicou.

Os mercados do «meixão capturado ilegalmente» nas águas nacionais, são o «espanhol e japonês, chegando a atingir os 2 mil euros o quilo», afirmou ainda o major Jorge Caseiro.
Redação / MM