A primeira quinzena de junho vai ser mais fria do que o habitual e trará chuva, pelo menos na primeira semana do mês e também a partir de dia 10 de junho. Más notícias para quem estava a contar com dias de praia e temperaturas altas na semana dos feriados.

Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), "o estado do tempo no território continental, na primeira semana de junho, vai ser condicionado por uma região depressionária centrada a oeste da península ibérica e a norte do arquipélago da Madeira".

As temperaturas serão amenas mas o IPMA prevê "uma descida gradual dos valores da temperatura, em especial da máxima, sobretudo nas regiões do interior". As máximas não deverão ultrapassar os 30º graus "com tendência para uma pequena descida ao longo da semana" e a temperatura mínima deverá variar entre os 10.º e os 18º graus.

Esta depressão vai condicionar o estado do tempo até ao próximo sábado, dia 6.

O céu vai apresentar-se por vezes muito nublado, com a possibilidade de formação de neblina e nevoeiro matinal no litoral a norte do cabo Raso em alguns dias, podendo apresentar-se mesmo pouco nublado ou limpo, como por exemplo no dia 5, em praticamente todo o território, eventualmente também nos dias 8 e 9, conforme apontam as previsões neste momento", revela fonte do IPMA.

No próximo fim de semana, 6 e 7 de junho, com a aproximação da depressão ao território continental, deverá ocorrer alguma precipitação.

Temporariamente, o vento poderá soprar em regime de brisa mais intensa entre os dias 6 e 9, com a intensificação do anticiclone na região do arquipélago dos Açores".

Já a temperatura da água do mar deverá estar "ligeiramente acima do normal para a época do ano, variando entre 18.º a 20.° graus na costa ocidental e entre 20 a 22°C na costa sul", pelo menos até domingo, dia 7.

Mas as notícias pioram a partir daqui, sobretudo para quem estava a contar com umas miniférias aproveitando os feriados de junho. A partir do dia 10, o primeiro dos feriados da próxima semana - Dia de Portugal, a que se segue, no dia 11, o Corpo de Deus - "antevê-se a aproximação de nova depressão, que poderá manter-se até ao final da segunda semana de junho, e que poderá trazer novamente precipitação", aponta o IPMA, aconselhando, contudo, a que a situação seja acompanhada com as previsões diárias devido a um grau ainda elevado de incerteza.

Bárbara Cruz