Um grupo de investigadores vai estudar a ligação entre o microbioma (microrganismos que se formam a partir do nascimento até aos 3 anos de idade) e o desenvolvimento do cancro da mama. É um estudo organizado por três países – Portugal, Espanha e Áustria - que parte da questão: o cancro da mama pode voltar a aparecer?

O oncologista Diogo Alpuim Costa esteve no Diário da Manhã, para falar sobre o estudo e explicou de que forma as bactérias que habitam no nosso organismo, sobretudo no intestino, podem influenciar o tratamento do cancro na mama e a incidência e reaparecimento do mesmo.

“Até agora, olhávamos muito para o cancro e para o tipo de cancro da mama. Mas esquecíamos o hospedeiro e parece que as mulheres com cancro de mama podem ter uma flora intestinal característica deste tipo de doença. (…) Parece que na flora intestinal há um grupo de bactérias que podem segregar uma enzima que afeta a absorção do estrogénio e isso afeta o aparecimento do cancro da mama”, explica o especialista.

O ensaio vai desenvolver-se nos seguintes hospitais: CUF Instituto de Oncologia, Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil, Centro Hospitalar de Lisboa Norte (Hospital de Santa Maria), Hospital Professor Doutor Fernando da Fonseca, Ramon y Cajal University Hospital, and Oncology Comprehensive Cancer Centre (Medical University of Vienna).