Duas estradas permanecem hoje condicionadas em São Vicente devido ao temporal do dia de Natal e “alguns pontos” continuam sem água, segundo o presidente do governo madeirense, que espera ter o relatório dos prejuízos na primeira quinzena de janeiro.

[Sobre] o apoio social já iniciámos o levantamento hoje e esperamos ter na primeira quinzena de janeiro o levantamento da situação", disse Miguel Albuquerque, à margem de uma visita ao Serviço Regional de Proteção Civil, no Funchal.

Em causa está o relatório com os prejuízos, as implicações do temporal ao nível da engenharia civil e as consequências sociais do mau tempo.

O governante disse haver duas estradas ainda condicionadas nos sítios da Fajã da Areia e da Lombadinha, assim como – tal como tinha já sido avançado - duas casas destruídas e uma dezena de outras que terão de ser intervencionadas.

Segundo Miguel Albuquerque, o "grosso" da limpeza das estradas "está feito", o abastecimento de eletricidade foi reposto em todo o concelho” de São Vicente, enquanto o da água terá de ser cumprido ainda "em alguns pontos".

No Dia de Natal os concelhos do norte da Madeira foram atingidos por elevados e persistentes níveis de chuva, sobretudo São Vicente, nas freguesias de Ponta Delgada e da Boaventura.

As chuvas provocaram inundações em residências e estradas, enxurradas de pedras e lama que interditaram as vias de circulação, invadiram o cemitério de Ponta Delgada e a zona da igreja, e fizeram retirar de casa, por precaução, 27 pessoas.

O município esclareceu que "muitas casas" foram afetadas, mas apenas duas sofreram danos significativos, uma das quais - uma moradia de férias - ficou totalmente destruída.

A reposição da rede de água potável será mais lenta, devido aos danos provocados nos arruamentos, de acordo com a autarquia.

/ BC