Miguel Sousa Tavares comentou esta segunda-feira o caso de Isabel dos Santos e do Impeachment do presidente Donald Trump, no seu habitual espaço de comentário, no jornal das 8, na TVI.

Os 715 mil documentos tornados públicos ligados às práticas financeiras da empresária angolana Isabel dos Santos, o “Luanda Leaks”, foi um dos temas abordados pelo comentador da TVI.

Um dos principais alvos das críticas de Miguel Sousa Tavares, foram as “entidades portuguesas que nada viram” e que foram “tão amigas” de Isabel dos Santos e que, agora, “começam a acordar todas”.

Há três coisas que são inegáveis: Angola é um país riquíssimo, os angolanos vivem na miséria e a filha do ex-presidente de Angola é a mulher mais rica de África”, disse.

Arranca esta terça-feira no Senado o processo de impugnação do mandato do presidente norte-americano, Donald Trump. O processo, que deverá estar decidido e não irá desencadear a remoção de Trump do cargo, não contará com “novas provas, nem novas testemunhas”, isto porque, segundo Miguel Sousa Tavares, os republicanos têm pressa em “arrumar” o caso.

O impeachment não irá para a frente”, afirmou. “O que interessa aqui é a questão política, se ela vai ou não vai dar prejuízos à reeleição de Trump daqui a um ano”, sublinhou.