Os militares do Exército vão ter novas fardas. O tradicional verde camuflado, que é utilizado desde a guerra colonial (1961-1974), vai dar lugar ao cinzento com boina preta e com as cores da bandeira nacional nas fitas. As clássicas botas pretas também vão mudar e passam a ser castanhas.

Considerando a evolução tecnológica dos materiais e o seu emprego em operações, associada à necessidade de reduzir a utilização dos atuais uniformes n.º 1 e n.º 2 a um único uniforme, mostra-se necessário proceder à alteração de algumas peças de fardamento, que já não se coadunam com as atuais características da prestação de serviço militar no Exército", lê-se no diploma publicado quarta-feira em Diário da República.

Mas as mudanças podem ainda levar algum tempo a notar-se, uma vez que a portaria consagra um período de transição até quatro anos.

Qualquer militar na situação de ativo ou de reserva, tem direito à comparticipação do Estado de 75% na aquisição da nova farda

O Exército comparticipa a aquisição de fardamento em 75 % do seu valor através dos locais de venda de fardamento (...) O direito à comparticipação do Estado em fardamento é extensível a todos os militares na situação de ativo e de reserva na efetividade de serviço". 

De acordo com o Diário de Notícias, o processo de substituição dos atuais fardamentos deve iniciar-se em novembro.