Os procuradores do Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) acusam o juiz Ivo Rosa de minar o processo da Operação Marquês.

Rosário Teixeira e Vítor Pinto acusam o juiz de, no âmbito do debate instrutório, "relegar a subida dos recursos", violando a lei e deixando o processo seguir para julgamento "completamente minado".

Os dois magistrados do DCIAP enviaram uma reclamação para o Tribunal da Relação, a 20 de setembro, onde contestam a decisão de Ivo Rosa acerca do momento em que devem ser enviados os recursos interpostos pelo Ministério Público.

Em causa, está a decisão do juiz de excluir como prova no processo, que tem como principal arguido José Sócrates, declarações feitas por arguidos no âmbito de outros processos. É o caso de declarações de Ricardo Salgado no âmbito do processo Monte Branco e no caso BES.

Os procuradores recorreram, mas os recursos não foram logo enviados para a Relação, tendo sido "empurrados" para o fim da fase instrutória.