A ministra da Saúde admitiu que a norma de isolamento contra a covid-19 será diferente consoante as pessoas, tendo sobretudo em conta o critério de vacinação. Em entrevista à rádio Renascença, Marta Temido diz que "pelo facto de estarem vacinadas, [as pessoas] não estão todas nas mesmas condições".

Não têm todas o mesmo contexto, a mesma situação de saúde e isso tem de ser ponderado", acrescentou, depois de questionada sobre a demora da Direção-Geral da Saúde em apresentar a norma relativa ao isolamento.

Segundo a governante, essa mesma norma será divulgada ainda esta semana, depois de "análises técnicas que são complexas".

Imagino que não possa ser uma medida única, tenha de ter em vista, por exemplo, o local de residência, como será o caso de pessoas em estruturas residenciais para idosos", referiu Marta Temido.

Sobre o avanço na vacinação e em alguma demora em chegar aos 85% de população com esquema vacinal completo, a ministra da Saúde lembra que um processo costuma ser mais difícil na sua fase de encerramento.

Para explicar a situação, Marta Temido adiantou que há jovens com 16 e 17 anos a faltarem à administração da segunda dose, apelando a esta população que se vacine.

Há pessoas que já fizeram a primeira dose de vacina e que não foram à segunda dose, nomeadamente até ao grupo etário dos 16/17 anos. Apelo a todos aqueles que falharam a sua segunda dose e que sejam elegíveis para a sua administração para se vacinarem", disse.

Redação