A estratégia de combate ao incêndio de Vila de Rei que se alastrou a Mação fez estalar o verniz nas relações entre o ministro da Administração Interna e o presidente da câmara de Mação.

Em entrevista à RTP, Eduardo Cabrita criticou a atitude do autarca, que optou por não promover a ativação do plano municipal de emergência e ser "verdadeiramente um comentador televisivo”.

O presidente da Câmara de Mação, vejo com desgosto que aquilo que pensava ser uma perturbação motivada pela tensão da ocorrência que estava a passar-se no seu concelho, optou por não promover a ativação do plano municipal de emergência, não dar qualquer cooperação ao esforço de Proteção Civil e ser verdadeiramente um comentador televisivo, por que a seguir a cada briefing, aparecia nas televisões a fazer comentários", afirmou o ministro na estação pública.

"Lamento que não mo tenha dito olhos nos olhos"

Vasco Estrela, em reação à TSF, disse que ficou surpreendido com as declarações do governante e classificou como “indigno” o ataque do ministro ao presidente da câmara de Mação.

Nunca pensei que o ministro vivesse tão mal com opiniões divergentes e que quando confrontado com críticas claras e objetivas e factuais reagisse dessa maneira. Lamento que tenha estado comigo às 15 horas e não tenha tido a coragem de dizer olhos nos olhos aquilo que foi dizer para a televisão. É com muita surpresa que vejo estas declarações", destacou o autarca.

Na resposta às críticas, Vasco Estrela afirmou que foi com "total surpresa" que ouviu as palavras de Eduardo Cabrita.

Mais tarde, em declarações à Lusa, o presidente da Câmara de Mação lamentou que o ministro da Administração Interna o tenha "atacado pessoalmente", em vez de "expressar solidariedade a um concelho que teve 95% da área florestal ardida nos últimos dois anos".

O autarca refuta as acusações do ministro, considerando que o governante "preferiu fazer um ataque pessoal e indigno" do que discutir a maneira como evitar que Mação e concelhos vizinhos sejam consumidos pelas chamas ano após ano.

Vasco Estrela manifesta disponibilidade para debater na praça pública a sua atuação no fim de semana e a política do Governo na área da Proteção Civil. "Não é um desafio, é uma sugestão. Vamos debater", refere o autarca.

O presidente de Mação manifestou ainda vontade de "manter um relacionamento institucional correto" com Eduardo Cabrita nos "meses que restam" de Governo.

Sei distinguir o político do cargo que ocupa", garante, dizendo que enquanto responsável do executivo municipal pretende continuar a colaborar com o Ministério da Administração Interna, como aconteceu recentemente, quando a autarquia doou à GNR local uma viatura "praticamente" nova.

Em nome da segurança e bem-estar da população do seu concelho, Estrela diz que não quer alimentar mais polémicas com Eduardo Cabrita, “até porque o ministro, provavelmente, já se arrependeu do que disse", rematou.

Vasco Estrela disse à agência Lusa que recebeu com "surpresa, estupefação e até alguma mágoa" as palavras de Eduardo Cabrita, lamentando que o ministro "conviva mal com opiniões divergentes".

Vários incêndios deflagraram no distrito de Castelo Branco ao início da tarde de sábado. Dois com origem na Sertã e um em Vila de Rei assumiram maiores dimensões, tendo este último alastrado, ainda no sábado, ao concelho de Mação, distrito de Santarém.

O incêndio atingiu pelo menos cinco casas neste município.