O ministro da Administração Interna propôs a designação do tenente-general Luís Francisco Botelho Miguel para as funções de comandante-geral da Guarda Nacional Republicana, segundo o gabinete de Eduardo Cabrita.

Fonte do Ministério da Administração Interna (MAI) confirmou hoje à agência Lusa que Eduardo Cabrita propôs a designação do atual segundo comandante da GNR para liderar a corporação.

De acordo com o MAI, a nomeação, que será feita pelo primeiro-ministro, depende do cumprimento dos procedimentos legalmente exigidos, designadamente a audição do Conselho de Chefes de Estados Maior.

Oficial do Exército, Botelho Miguel é segundo comandante-geral da Guarda Nacional Republicana desde maio de 2016 e está na corporação desde 2010. Botelho Miguel vai substituir o general Manuel Mateus Couto, que vai sair da GNR por ter atingir o limite da idade.

Esta segunda-feira, Botelho Miguel já acompanhou o MAI numa deslocação à GNR de Alcochete para agradecer a prontidão e o serviço prestado no ataque à academia do Sporting, da passada terça-feira.