Um homem de 80 anos morreu esta quarta-feira de manhã na sequência de uma queda acidental, enquanto fazia uma caminhada no paredão nascente da barra da ria de Alvor, em Portimão, no distrito de Faro, informaram as autoridades.

Em comunicado, a Autoridade Marítima Nacional (AMN) explica que o óbito foi declarado no local pelo médico do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), após 45 minutos de manobras de reanimação, com recurso a oxigenoterapia e ao Desfibrilhador Automático Externo (DAE).

À chegada ao local, os elementos do Projeto "SeaWatch" resgataram a vítima para fora da zona rochosa, com auxílio de um familiar e de um popular, tendo constatado que a mesma se encontrava inconsciente e apresentava um ferimento grave na zona da cabeça, iniciando de imediato as manobras de reanimação, com o apoio de dois enfermeiros que se encontravam no local, até à chegada dos Bombeiros Voluntários de Portimão e do INEM”, lê-se no comunicado.

Para o local, segundo a AMN, também foram ativados elementos do Comando-local da Polícia Marítima de Portimão.

O corpo foi transportado para morgue do hospital de Portimão, após indicações do Ministério Público.

O alerta para a ocorrência foi dado às 10:29, após as autoridades terem sido alertadas por um popular que testemunhou a queda da vítima.

Segundo Jorge Meneses, presidente da Associação Portuguesa de Projetistas e Consultores, a vítima foi o engenheiro Manuel José Grade Ribeiro, referência na engenharia hidráulica em Portugal.

Grade Ribeiro esteve envolvido, entre outros, no projeto do Centro Cultural de Belém e da Fundação Champalimaud.

Segundo Jorge Meneses, presidente da Associação Portuguesa de Projetistas e Consultores, Grade Ribeiro, “na sua área, era uma referência”.

Era um especialista em águas e esgotos, que trabalhou com muitos arquitetos de referência. Era uma referência na engenharia hidráulica em Portugal”, sublinhou Jorge Meneses, em declarações à agência Lusa.

O presidente da Associação Portuguesa de Projetistas e Consultores destacou “a vitalidade” de Grade Menezes, também autor de diversas exposições de pintura.

Era uma pessoa muito atenta, que adorava pensar nos assuntos a sério. Era um engenheiro na verdadeira definição do termo, uma pessoa com engenho”, referiu Jorge Meneses.

/ NM - atualizada às 21:54