O Presidente da República sublinhou "o humor, a emoção e a empatia" da atriz Maria João Abreu, que morreu esta quinta-feira, vítima de um aneurisma.

Destacando a sua carreira como atriz de revista, de televisão e como produtora, Marcelo Rebelo de Sousa destacou "uma figura que representava para muitos portugueses a familiaridade de quem está connosco porque se parece connosco".

Apresentando as "sentidas condolências" à família de Maria João Abreu e lamentando que nos tenha deixado "precocemente", o Presidente referiu a "abordagem natual" da atriz, com destaque para "a comédia, a projeção dos nossos afetos e dos nossos problemas, a proximidade humana".

A atriz Maria João Abreu, que estava internada no Hospital Garcia da Orta, em Almada, desde dia 30 de abril, morreu esta quinta-feira. 

Recorde-se que a atriz, de 57 anos, sofreu um aneurisma na semana passada. Ter-se-á sentido mal e desmaiado durante as gravações da telenovela “A Serra” . Foi assistida no local e depois transportada para o hospital.

Nascida em Lisboa, a 14 de abril de 1964, Maria João Gonçalves Abreu Soares iniciou a carreira profissional no teatro, mas foi a televisão que lhe granjeou a popularidade, com a produções como “Médico de família”.

O marido de Maria João Abreu, João Soares, já reagiu na rede social Instagram: "A minha João partiu".

Catarina Pereira