Morreu a atriz Cremilda Gil, aos 91 anos. A notícia foi confirmada pela atriz Lídia Franco no Facebook.

Cremilda Gil trabalhou por mais de cinco décadas no mundo da representação, tendo feito teatro, televisão e cinema.

Trabalhou na TVI, ‘Olhos de Água’, em 2001, ou ‘Deixa Que Te Leve’, em 2009, e também na SIC e na RTP. Foi na estação pública que fez o seu último trabalho, o telefilme ‘Entre as Mulheres’, em 2012.

Carreira de Cremilda

Cremilda Gil estreou-se no Teatro Nacional D. Maria II e desenvolveu uma longa carreira em teatro, televisão e cinema.

Atualmente residia no Alentejo – em Malarranha, no concelho de Mora – tendo integrado a companhia Teatro da Terra.

“Entre as mulheres”, um telefilme de 2012, foi o seu último trabalho em televisão.

“Retalhos da vida de um médico”, “Sabadabadu”, “Vila Faia”, “Origens”, “A relíquia”, “A morgadinha dos canaviais”, “O Mandarim”, “Cinzas”, “As Aventuras do Camilo”, “A Lenda da Garça” e “Inspetor Max” são alguns dos trabalhos em que participou em televisão.

Do seu currículo no teatro constam peças como “Madame Sans-Gêne” no D. Maria II, “Sinhá Eufémia” e “António Marinheiro”, no Teatro Villaret, “Pimpinela”, no Monumental, em Lisboa, em mais recentemente, no Teatro da Terra em “A casa de Bernarda Alba” e “A maluquinha de Arroios”.

No cinema foi dirigida por António Macedo, em “Domingo à tarde”, por João Botelho em “Um adeus português” e “Aqui na Terra” e por Manoel de Oliveira em “A divina comédia”.

Curiosamente, em “Cruz de Ferro” (1967), um dos últimos trabalhos do realizador Jorge Brum do Canto, contracenou com Octávio Matos, que morreu no domingo passado.