Nove pessoas morreram este ano em 47 acidentes relacionados com a utlização de eletricidade, mais do dobro dos registados em igual período de 2011, estima a Associação Certificadora de Instalações Elétricas.

«Detetamos que se verificaram nos dois primeiros meses e até sexta-feira passada [dia 09 de março], 47 acidentes claramente identificados como de origem elétrica, dos quais resultaram nove vítimas mortais, seis feridos e 45 desalojados», disse à agência Lusa o diretor-geral da Certiel.

Os dados avançados por Carlos Ferreira Botelho são obtidos através da consulta das notícias veiculadas pelos jornais eletrónicos, na Internet e «deverão ser inferiores à realidade pois haverá casos que não aparecem nos jornais e outros que não são identificados como sendo de origem elétrica».

«Comparando os dois primeiros meses deste ano com os do ano passado, tinhamos 22 acidentes no ano passado e temos 47 este ano, é praticamente o dobro, um pouco mais», acrescentou.

Além dos nove mortos, cinco dos quais são homens, os acidentes provocaram cinco feridos ligeiros e um grave e 45 desalojados.

Sete das nove mortes foram provocadas pro incêndio, sendo as restantes duas devido a eletrocussão.

Do total de acidentes, 22 ocorreram no norte do país, 11 no centro, 13 no restante território do continente (região de Lisboa e Vale do Tejo, Alentejo e Algarve) e uma nos Açores.

Grande parte dos acidentes (33) ocorreram em habitações, tanto em moradias como em apartamentos.

«Não há motivo para alarme. Se compararmos as causas de morte, há outras com muito mais incidência, mas não há dúvidas de que há situações de instalações menos seguras, mas também algum comportamento dos utilizadores, que não têm a noção exata do perigo que podem correr», explicou Carlos Ferreira Botelho.

Para o responsável da Certiel, «o facto de existirem estes acidentes domésticos significa que as instalações não estão bem, mas as pessoas também não estão preocupadas com a sua utilização porque se tivessem a noção dos riscos que correm provavelmente já teriam tomado medidas para que estes acidentes não acontecessem. É esse alerta que deve ser feito».

Para informar os consumidores, a Certiel lançou a campanha «Usar bem a energia é um dever de cidadania», recordando que existem muitas instalações elétricas a necessitar de remodelação.

Algumas instalações estão em edifícios mais antigos, construídos quando as regras de segurança não eram tão exigentes, outras foram-se degradando com o tempo e o uso. Por outro lado, muitas casas têm um sistema elétrico que não está preparado para a quantidade de equipamentos atualmente utilizados, provocando uma sobrecarga dos quadros elétricos.
Redação / SM