Um menino de 12 anos morreu na quarta-feira, no sul de Espanha, alegadamente vítima de um disparo acidental. A notícia é avançada pelo Diário Sur, um jornal regional de Málaga.

A TVI24 já contactou a secretaria de Estado das Comunidades. Fonte oficial respondeu, entretanto, que o Consulado Geral de Portugal em Sevilha está já "em contacto com a família do cidadão português falecido na província de Málaga, em Espanha. Foram apresentadas condolências pela trágica perda da vida do cidadão nacional".

O Consulado está ainda a realizar os procedimentos administrativos tendo em vista permitir a trasladação, bem como estabelecer contactos com as autoridades espanholas, para que a libertação do corpo possa ocorrer no mais curto espaço de tempo".

Este diário escreve que a criança estava a passar as férias da Páscoa, em Coín, com os pais e o irmão mais novo, de oito anos, em casa de familiares. Ao que tudo indica, o menino estava a brincar com o irmão mais novo e ainda na companhia de outros jovens, com uma espingarda (carabina de ar comprimido), que terá sido disparada acidentalmente. O menino terá sido atingido no peito. 

Agentes da polícia, que se encontravam a orientar o trânsito junto à vivenda onde o jovem estava a passar férias com a família, acorreram à casa, depois do disparo. Tentaram ainda reanimar o menor durante 40 minutos. A intervenção das equipas médicas de socorro também não permitiu salvá-lo, sendo que, diz o Sur, apresentava múltiplas feridas.

O incidente ocorreu quando decorria a procissão da Irmandade da Vera Cruz. Nessa noite de quarta-feira, o jovem encontrava-se na companhia do irmão, de oito anos, e de outros jovens.

Segundo fontes do diário,  o rapaz de 12 anos seria o mais velho de entre os jovens, não se sabendo ainda quem premiu o gatilho.

Está já em curso uma investigação, sob alçada da polícia judiciária espanhola. A origem da arma que causou a morte da criança é ainda desconhecida. Depois das primeiras investigações, a Guarda Civil deteve o proprietário da arma por alegado homicídio involuntário, mas, segundo o jornal, foi libertado esta quinta-feira.

No Facebook, o município de Coín já lamentou a morte do menino português, tendo declarado um dia de luto em sua memória.