ACTUALIZADA ÀS 17h03

O despiste de um autocarro na A1, depois da saída para Coimbra-Sul, no sentido Sul-Norte, fez este sábado 32 feridos e um morto, adiantou fonte do INEM ao tvi24.pt.

O responsável da Protecção Civil de Coimbra, António Martins, adiantou que na viatura se deslocavam 33 passageiros e o motorista.

Segundo o INEM, há 19 feridos ligeiros, 11 feridos graves e dois feridos muito graves, «com vários traumatismos», sendo um deles uma criança que foi transportada para o Hospital Pediátrico de Coimbra.

«Iam cerca de 50 pessoas no autocarro, todas elas hemofílicas», disse fonte do INEM, explicando que foi montado um posto médico avançado no local para os assistir.

A vítima mortal é um homem de cerca de 60 anos.

No local estiveram 20 ambulâncias, seis viaturas médicas, uma viatura de intervenção em catástrofe, uma equipa de psicólogos do INEM, dois helicópteros, seis médicos e vários enfermeiros.

Segundo o correspondente da TVI no local, João Bizarro, o autocarro tinha partido de Lisboa e dirigia-se para um hotel no Luso, onde vai decorrer este fim-de-semana um encontro promovido pela Associação Portuguesa de Hemofilia.

Neste momento, todos os feridos já foram transportados para os hospitais e os meios estão a desmobilizar. O autocarro ainda não foi removido.

No local estiveram 71 bombeiros, apoiados por 24 viaturas.

As causas do acidente «estão ainda por apurar» e o motorista foi o único ocupante que não sofreu qualquer ferimento, informou o comandante distrital de Coimbra da Protecção Civil, António Martins.

A médica Sofia Madeira, do INEM, explicou que «a maior dificuldade» esteve relacionada com a hemofilia dos doentes, já que estes têm «risco hemorrágico muito elevado».

No Hospital dos Covões, em Coimbra, a correspondente da TVI Catarina Canelas afirmou que dois dos feridos adultos tiveram de ser operados, mas que todos estão estáveis.
Catarina Pereira