Em vésperas de mais uma greve dos motoristas de matérias perigosas que ameaça paralisar o país, revelamos um verdadeiro esquema de fuga ao Fisco por parte das empresas de transporte.

Em causa está o pagamento de horas extraordinárias sob a forma de ajudas de custo, fugindo assim aos impostos.

A Segurança Social é uma das lesadas e o prejuízo poderá ser de milhões de euros, ou seja, dinheiro de todos os contribuintes. O Governo sabia de tudo, mediou as negociações e nada fez.

A TVI teve acesso a provas documentais da própria Autoridade Tributária e Segurança Social que confirmam a existência destas ilegalidades e que já estão nas mãos do Ministério Público.

Tentámos ouvir o ministro das Infraestruturas, o ministro da Segurança Social; e o ministro das Finanças. Nenhum quis gravar uma entrevista.

Quanto à Autoridade Tributária respondeu por escrito, confirmando apenas que existe uma investigação sobre a fuga ao Fisco que está a decorrer.

A Segurança Social reafirmou também a existência nos últimos dois anos, de 4 milhões de euros de contribuições em falta em várias empresas de transporte.