A Polícia Judiciária desmantelou um esquema que durou quatro anos, entre 2012 e 2016, no qual dez indivíduos, de nacionalidade brasileira, terão roubado 120 mil euros, lesando 18 bancos.

O grupo utilizava falhas no sistema para roubarem vários bancos. Abriram 94 contas bancárias e aproveitavam o período de atualização do sistema para atuar.

Um dos elementos fazia um depósito de 10 mil euros, transferindo-o de imediato. Assim que o sistema estava offline, voltava a movimentar o dinheiro, conseguindo duplicar o depósito.

Quatro suspeitos foram detidos e seis estão em fuga. O Ministério Público acusou todos os arguidos de branqueamento de capitais e de burla informática. O cabecilha foi ainda condenado por falsificação de documentos.