Vivemos tempos diferentes, em que, por um bem maior, a nossa liberdade fica restrita. Concertos cancelados, festivais adiados... a cultura fica em suspenso, mas começam a aparecer soluções.

Porque é um bem maior, e deve chegar ao máximo de pessoas, a arte, nas suas mais variadas formas, encontrou maneira de chegar às pessoas sem que elas necessitem de colocar a sua segurança em casa.

D. Maria em casa

Em Portugal, um dos primeiros a "abrir portas" online foi o Teatro D. Maria II, com a iniciativa "D. Maria II em Casa". Como forma de incentivar os portugueses a incluírem o teatro nas suas novas rotinas, foi criada a Sala Online, onde várias peças de teatro são disponibilizadas em formato de vídeo.

Um novo espetáculo é disponibilizado todas as sextas-feiras e sábados, às 21:00. O conteúdo é selecionado entre as "dezenas de produções e coproduções que subiram ao palco" do teatro nos últimos anos.

No D. Maria II, o palco também é seu. A partir de casa, dê largas à imaginação e partilhe connosco o seu momento teatral. Sozinho, a dois ou em família, junte-se ao Movimento D. Maria II em Casa", diz o teatro.


 

Há ainda espaço para os mais novos, que podem recriar cenas icónicas do teatro, cinema ou televisão. Como diz o D. Maria II, "vale tudo. Só não vale sair de casa".

Os vídeos destas recriações devem ser partilhados através do Instagram ou do Facebook, com as hastags #dmariaiiemcasa, #teatroemcasa e #ficoemcasa.

O teatro partilhará os melhores vídeos nas suas redes sociais, e no final haverá prémios par os mais originais.

Politeama todos os dias

O Teatro Politeama transmite diariamente, às 21:30, alguns dos seus musicais através da página no Facebook.

A medida do teatro dirigido por Filipe La Féria destina-se a oferecer aos "habituais espectadores do Politeama e a novos públicos os espetáculos dirigidos por Filipe La Féria".

Arte antiga no sofá

Encerrado desde 15 de março, o Museu Nacional de Arte Antiga também oferece uma experiência diferente, que permite uma visita às suas coleções, sem que tenha de colocar em causa a quarentena.

O lema é "Apesar da distância, a arte é uma ponte que nos une", e conjuga diferentes visitas a espaços do museu, que são guiadas pelos colaboradores.

Gulbenkian a 360º

O desafio consiste numa visita virtual, que explora a Coleção do Fundador e a Coleção Moderna, numa visita de 360 graus.

Na primeira, estão expostos objetos do Antigo Egito, mas também do Oriente Islâmico. Há ainda espaço para a pintura, com artistas como Rembrandt, Turner, Monet, Rodin ou René Lalique.

A segunda coleção visita os mais conceituados artistas portugueses. Amadeo de Souza-Cardoso, Almada Negreiros, Paula Rego ou Vieira da Silva são alguns dos representados. A exposição "reúne uma das mais completas coleções de arte moderna e contemporânea portuguesa, desde o final do século XIX até à atualidade".

Ciência e natureza interativas

O Museu Nacional de História Natural e Ciência apresenta um site interativo que utiliza a tecnologia 360º HDR. O objetivo é navegar de forma interativa através dos espaços e aceder a informações sobre exposições.

A visita começa na Rua da Escola Politécnica, entre o Rato e o Príncipe Real, e entra pelo antigo laboratório do século XIX, o Laboratorio Chimico.

Toda esta experiência online permite ao visitante conhecer um pouco melhor os espaços do MUHNAC e a sua história convidando o público à visita presencial", refere o site.

Coches em andamento

O Museu Nacional dos Coches, instalado na sua casa recent, oferece uma visita 4D.

Começa no átrio e explora todo o espaço, dando a conhecer algumas das carruagens utilizadas pela realeza portuguesa.

Uma ótima forma de voltar aos tempos antigos sem sair de casa.

Personalidades virtuais

A visita ao Panteão Nacional requer a instalação da aplicação móvel Google Arts & Culture.

A partir daí, pode explorar visitas guiadas em realidade virtual, ficando a conhecer mais do local que recebe os restos mortais de grandes figuras da sociedade portuguesa.

A página apresenta ainda duas exposições diferentes: Igreja de Santa Engrácia - o mito e a história; À descoberta do Panteão Nacional.

Que belas artes

A proposta é navegar de forma livre e interativa, e oferece o melhor do Museu Virtual da Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa.

Através da página é possível aceder a todos os quatro pisos do edifício, e encontrar obras de desenho ou gravuras.

O projeto iniciou-se em 2009, mas, numa altura em que é impossível visitar de outra forma, ganha uma especial importância.

Música para todos

Também já é possível visitar a Casa da Música através de uma experiência 360 graus.

Através deste site, dá para explorar todo o edifício que fica na rotunda da Boavista, no Porto.

Livros históricos

É uma das principais atrações da cidade do Porto, e está constantemente cheia de gente, formando fila à porta.

Agora, não é preciso esperar para entrar e visitar a Livraria Lello. Não poderá comprar os livros, é claro, mas é possível visitar aquelas instalações históricas.

Palácio da Bolsa

Através do mesmo site, a experiência 360 graus também é possível de fazer no Palácio da Bolsa.

O histórico edifício, com algumas das mais belas salas do país, é uma ótima forma de passar o tempo sem sair de casa.

Outras opções

Existem ainda outros museus que se podem visitar virtualmente. Através da aplicação móvel Google Arts & Culture, pode aceder a sítios como o Palácio Nacional de Sintra, o Palácio Nacional de Mafra, o Mosteiro dos Jerónimos, o Mosteiro da Batalha ou o Convento de Cristo. No Porto, é ainda possível visitar a Igreja de S. Francisco, a Sé Catedral ou a Torre dos Clérigos.

Cultura também lá fora

No Vaticano, em Nova Iorque ou em Paris, vários museus disponibilizaram os seus websites para visitas virtuais.

Por estes dias, até o Papa está isolado, e o Vaticano, habitualmente cheio, está vazio, como qualquer outro lugar. Mas um dos locais mais visitados, a Capela Sistina, tem agora um site onde pode ver a mítica sala, onde se escreve história todos os séculos.

Em Paris, o museu do Louvre, um dos mais visitados de todo o mundo, abriu algumas salas à exposição virtual. Agora pode explorar as coleções de antiguidades egípcias, bem como a parte medieval, que integra uma antiga muralha dentro do museu.

E a 9 de abril é a vez de o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA) lançar a sua plataforma virtuall, que pode acompanhar aqui. Este museu tem ainda uma opção interativa disponível para partilhar com as crianças.

E para quem quer dançar?

A discoteca Lux Frágil tem feito todos os dias pequenas sessões, em que os seus DJ's residentes nos dão algumas horas de boa música, sobretudo para quem quer dançar.

António Guimarães