Dois idosos alemães, sinistrados na sequência do naufrágio de terça-feira em Lagos, continuam em observação no Hospital de Portimão, unidade em que se mantêm também os maridos das duas vítimas mortais, que recebem apoio psicológico, informou fonte hospitalar.

Segundo disse à Lusa a mesma fonte, todos os restantes sete sinistrados -incluindo o mestre da embarcação naufragada, de 56 anos -, que se encontravam distribuídos pelas unidades hospitalares de Portimão e Lagos - tiveram alta entre a tarde e a noite de terça-feira.

Os dois turistas em observação ainda não tiveram alta porque sofrem de doenças associadas, que podem agravar-se face aos danos sofridos com o acidente, acrescentou.

Os turistas sinistrados têm idades entre 61 e 83 anos, disse a fonte, observando que, após a transferência para Portimão dos dois viúvos que agora ali recebem apoio psicológico, nenhuma das vítimas ficou na unidade hospitalar de Lagos.

O acidente ocorreu cerca das 11:45, quando a embarcação de recreio, com 10 turistas alemães e um mestre, se virou ao largo da praia do Camilo, em Lagos. Além destes, três tripulantes de uma embarcação que os tentaram salvar também precisaram de ser socorridos.

As causas do acidente deverão ser apuradas no âmbito de um inquérito já mandado instaurar pela autoridade marítima.