Notícia atualizada às 21:38

As buscas pelo pescador desaparecido, esta quarta-feira, ao largo de Castelo de Neiva, Viana do Castelo, foram interrompidas às 18:00, por causa do agravamento das condições meteorológicas, e serão retomadas na quinta-feira.

A informação foi confirmada à Agência Lusa pelo comandante da Capitania de Viana do Castelo, Gonçalves da Silva, acrescentando que as buscas pelo corpo do homem, de 43 anos, recomeçam às 08:00 de quinta-feira.

Durante o dia desta quarta-feira, as buscas decorreram em terra, com equipas da GNR e da Polícia Marítima, e no mar, com várias embarcações, além de um meio aéreo que acabou por ser desmobilizado durante a tarde face ao «agravamento das condições atmosféricas», nomeadamente a falta de visibilidade.

«As buscas serão reiniciadas amanhã (quinta-feira) com meios ainda a avaliar, sendo certo que o navio patrulha [NRP Cacine] vem para cá às 08:00», apontou Gonçalves da Silva.

O acidente deu-se a cerca de uma milha do portinho de Castelo de Neiva, em Viana do Castelo, de onde os dois pescadores que seguiam a bordo são naturais. Segundo a Polícia Marítima, os homens não envergavam coletes salva-vidas quando terão sido colhidos por um golpe de mar, cerca das 07:50, vinte minutos depois de partirem para a faina do polvo.

Sobrevivente deve ter alta esta quinta-feira

O pescador sobrevivente só deverá ter alta médica na quinta-feira, informou fonte hospitalar, citada pela Lusa. «Está clinicamente estável. Entrou esta manhã com uma situação de hipotermia, que já se resolveu. Fica em vigilância, durante a noite, apenas por precaução», explicou Maria Ramalho, médica do Serviço de Urgências do hospital de Viana do Castelo.

A médica contou à Lusa que o pescador de 32 anos, ingeriu muita água, adiantando que se o doente passar bem a noite poderá ter alta na manhã de quinta-feira.

O segundo tripulante continua desaparecido, após a retirada dos aparelhos de pesca do mar. As autoridades admitiam que o corpo estivesse preso a esses aparelhos.
Redação / MM