Maria Margarida de Oliveira, a médica que fundou o grupo auto-intitulado "Médicos pela Verdade", vai ser punida disciplinarmente.

A TVI apurou que a Ordem dos Médicos decidiu aplicar uma suspensão por seis meses, devido ao que considera ser divulgação de informação errada, colocando em causa a saúde pública.

Esta é a segunda pena mais grave aplicada pela Ordem dos Médicos, antes da expulsão.

A TVI sabe que a decisão do processo disciplinar acumula ainda a publicidade, ou seja, a Ordem vai tornar pública a sentença.

Nas redes sociais, o grupo “Médicos pela Verdade” anunciou a suspensão da atividade e fechou a página onde tinha milhares de seguidores. Era nessa página que anunciavam que estavam contra o uso da máscara, o confinamento, o isolamento de casos positivos assintomáticos e contra até os testes PCR.

A Ordem dos Médicos recebeu centenas de queixas contra a atuação desta médica e instaurou vários processos, o último foi em novembro.

À TVI, a médica e o advogado que a representa dizem que se trata apenas de uma acusação e não de uma decisão, no entanto, várias fontes da Ordem dos Médicos confirmam que a decisão está tomada e que é passível de recurso.

Inês Pereira