Ricardo Oliveira, um jovem de 31 anos que vive uma situação económica difícil depois de ter estado um mês em coma com covid-19, foi surpreendido em direto, esta segunda-feira, no Dois às 10, com uma surpresa que vai fazer diferença nos próximos tempos.

O jovem, que ganhou notoriedade ao dar o seu testemunho na reportagem da TVI “O Diagnóstico: covid-19”, sonhava tomar as rédeas do restaurante dos patrões, mas a pandemia trocou-lhe as voltas. Depois de um mês em coma, devido à covid-19, Ricardo não tem sequer direito a subsídio de desemprego por estar de baixa médica, chegando mesmo a revelar que "junta dinheiro para poder comprar uma lata de salsichas".

Durante a emissão do programa, os apresentadores Maria Botelho Moniz e Cláudio Ramos receberam a informação de que "uma empresa de grandes dimensões" ligada à área da "distribuição alimentar", que insistiu em manter-se anónima, vai ajudar o casal durante estes tempos turbulentos. 

Visivelmente emocionado, Ricardo sublinha que, apesar de todas as dificuldades por que tem passado, tem recebido muito apoio.

Foi uma onda de solidariedade enorme. Recebi mensagens de médicos a dizer para ter muita força. Mas eu convivo com pessoas, que fazem tratamento comigo, que também estão muito mal”, revelou

Ricardo sublinha ainda que quer que as pessoas olhem para o seu caso como um exemplo do que pode acontecer com a covid-19, mesmo a uma pessoa normal, sem complicações de saúde conhecidas.

Eu quero que as pessoas vejam o que se passou comigo como um abre olhos”, confessou.

Mesmo já tendo recuperado da doença, as sequelas ainda o marcam e Ricardo tem de continuar a fazer vários tratamentos para voltar à normalidade. Mas é na mulher que deposita o mérito da sua recuperação.

Sou acompanhado por vários médicos de várias especialidades, inclusive médicos psicólogos e psiquiátricos. Mas a minha maior psicóloga é a Vera. Eu acredito que foi a força dela que me salvou a vida”, contou o jovem.