O advogado António Manuel Arnaut morreu, esta quarta-feira, aos 58 anos vítima de doença prolongada, avança o Diário de Coimbra. 

Militante do PS e membro da comissão nacional dos socialistas, esteve na origem do Observatório de Saúde António Arnaut, criado em janeiro e que visa defender e apoiar a modernização e a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

António Manuel Arnaut, que estava doente há já algum tempo, morreu menos de um ano após o desaparecimento do pai, António Arnaut, conhecido como o criador do Serviço Nacional de Saúde, tendo sido também cofundador do Partido Socialista e ministro dos Assuntos Sociais no II Governo Constitucional.

O PS manifestou "profundo pesar" pela morte de António Manuel Arnaut, numa nota de pesar

A coragem a e generosidade de António Manuel Arnaut – bem patentes na forma como enfrentou as adversidades que marcaram a última fase da sua vida – constituirão traços indeléveis na memória de todos os que tiveram a felicidade de o conhecer".

Segundo o PS, o filho do fundador do SNS era "alguém profundamente livre e que se entregava apaixonadamente às causas em que acreditava e aos valores da Democracia, que praticava em toda a sua ação quotidiana, como político e como cidadão".

A concelhia do Partido Socialista (PS) de Coimbra também publicou uma nota de luto na página de Facebook.

Nessa nota a concelhia do PS lamenta que perdeu um "defensor incansável" do Serviço Nacional de Saúde e um "filho, marido e pai dedicado e inspirador". 

"Sempre foi um cidadão apaixonado pela liberdade e democracia, o que lhe permitiu sempre dizer o que lhe vai na alma. Nos últimos tempos fica nos a imagem do defensor incansável do seu SNS, que tanto o ajudava a lutar contra a doença prolongada e que quis preservar com a criação do Observatorio da Saude e com os repetidos apelos ao investimento no SNS e nos seus profissionais bem como numa revisão da Lei de Bases da Saúde que respeitasse o legado que seu pai nos deixou".

 
/ CE