O secretário-geral da CGTP considerou que o facto de o Orçamento do Estado ter sido votado antes da hora prevista revela «fraqueza e medo» e sugeriu que a votação foi antecipada para evitar uma manifestação.

«Não acredito em bruxas mas que as há, há, e esta estranha coincidência reflete que este Governo e a maioria que o suporta, os deputados do PSD e do CDS, está claramente a dar uma demonstração de fraqueza, de medo e também um sinal de que este orçamento não resolve o problema do país», disse Arménio Carlos à agência Lusa.

A maioria PSD/CDS-PP aprovou, na generalidade, a proposta de Orçamento do Estado para 2013, com um voto contra na bancada centrista, do deputado Rui Barreto, eleito pelo círculo da Madeira e os votos contra dos partidos da oposição.

A votação estava prevista para a tarde mas os trabalhos parlamentares foram antecipados de de tal modo que a aprovação da proposta de Orçamento do Estado foi feita ao inicio da tarde, quando ainda não estava em S.Bento a manifestação da CGTP.

A CGTP convocou um desfile, entre o Marquês de Pombal e a Assembleia da República, que deveria chegar a S.Bento por volta das 17:00, pouco antes da votação no plenário parlamentar.

No decorrer do desfile, Arménio Carlos criticou o procedimento do governo e da maioria e disse à Lusa que o OE aprovado não serve o país.
Redação