Os jovens da Maia com 18 anos cumpridos em 2019 podem candidatar-se aos 500 passes de Interrail que a câmara vai oferecer, numa iniciativa integrada nas comemorações dos 500 anos do Foral da cidade, avançou hoje o presidente.

Trata-se de uma experiência que, acredita a autarquia, além de permitir aos jovens tirar partido das vantagens de integrarmos a União Europeia, possibilita o aprofundar de conhecimentos sobre o património histórico e cultural do continente, o estabelecimento de contactos, bem como o desenvolvimento de competências essenciais para o futuro, como a independência, a confiança e a abertura a outras culturas", referiu à agência Lusa, António Silva Tiago.

De imediato, com a oferta de 500 passes de Interrail a jovens maiatos com 18 anos completados em 2019, a Câmara da Maia conta gastar cerca de 150 mil euros, mas António Silva Tiago avançou que, "dependendo da adesão e do sucesso desta iniciativa", pondera "prever no orçamento do próximo ano verba suscetível de abranger todos os jovens maiatos que completem a maioridade".

Estamos certos de que nenhum destes jovens irá regressar igual. Precisamente, porque cada um deles irá vivenciar um conjunto de emoções, físicas, sensoriais e espirituais até, que, necessariamente, os fará voltar diferentes, e assim evoluir", referiu o autarca.

Esta iniciativa - que estás a ser divulgada junto de escolas e instituições ligadas à juventide - é aplaudida por alunos, pais e professores.

À Lusa, José Reis, professor no Instituto Universitário da Maia (ISMAI), apontou que "quem viaja tem sempre histórias para contar sobre as pessoas, os locais, a cultura e sobretudo sobre as experiências vividas" porque, acrescentou, "ler um livro ou ver um documentário sobre um local não é igual a conhecer sentindo os cheiros, os sons, as paisagens, a arquitetura e ouvindo as palavras de quem vive nesse local".

Já Daniela Ferreira, jovem residente na Maia, no distrito do Porto, que já está a preparar candidatura ao passe Interrail, contou que adora viajar, apontando como vantagens "crescer e aprender melhor outras línguas".

Para o pai, Francisco Sérgio Ferreira, esta iniciativa da Câmara da Maia "tem imensas vantagens porque, para além do contacto com pessoas de outras culturas, há sempre algo a aprender", considerou.

Além de prova da data de nascimento, o regulamento prevê que na candidatura os jovens digam qual a sua motivação, que países gostariam de visitar e porquê, bem como que partilhem nas redes sociais fotografias ao longo da viagem que será realizada em comboio, numa parceria estabelecida com a CP-Comboios de Portugal.

Informação camarária sobre a medida, que tem o nome "Maia dá Mundo aos Jovens" e que serve para comemorar os 500 anos do Foral da Maia outorgado em 15 de Dezembro de 1519, acrescenta que é também objetivo fazer com que os jovens "criem uma relação ainda mais amistosa com os modos suaves de deslocação, numa lógica de descarbonização do território".

/ BC