O embaixador russo em Lisboa, Oleg Belous, morreu “repentinamente”, esta terça-feira, aos 66 anos, anunciou a embaixada da Federação da Rússia em Portugal.

Em comunicado, a embaixada informa que no dia 8 de maio, em Lisboa, “faleceu repentinamente o embaixador extraordinário e plenipotenciário da Federação da Rússia na República Portuguesa, Oleg Belous”.

Oleg Belous estava na embaixada da Rússia em Portugal desde 2013.

Era “um diplomata notável, um profissional de altíssima qualificação que fez uma contribuição pessoal importante para a criação da nova arquitetura europeia, para o estabelecimento das relações de parceria com a França, Itália, Espanha, Portugal e outros países da Europa”, lê-se na nota da embaixada russa.

“Uma pessoa de alma rica, mestre para a inteira geração de diplomatas. Um exemplo da devoção à Rússia, da proteção firme dos seus interesses”, acrescenta o comunicado, no qual os funcionários da embaixada expressam as “mais profundas condolências” à família do diplomata.

Belous iniciou a carreira diplomática em 1973, tendo trabalhado nas embaixadas russas em França e na Bélgica, além de ter sido representante permanente da Rússia junto da OSCE.

Foi também diretor do primeiro departamento europeu no Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, a partir de 2001. Na década de 1990 tinha dirigido o departamento de cooperação europeia.

Oleg Belous era casado e tinha uma filha adulta.

"Profundo pesar"

O Governo português recebeu “com profundo pesar” a notícia da morte do embaixador russo em Lisboa, ocorrida esta terça-feira, descrevendo-o como “um diplomata exemplar” que contribuiu para o aprofundamento das relações entre Portugal e Rússia.

Foi com profundo pesar que o Governo português tomou conhecimento do trágico falecimento do embaixador da Federação da Rússia em Portugal, Oleg Belous”, segundo um comunicado divulgado hoje pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE).

O chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, enviou uma carta ao seu homólogo russo, Serguei Lavrov, “a apresentar, em seu nome e do Governo da República Portuguesa, as mais sinceras condolências, que estendeu muito em particular à família e colegas do Embaixador Belous”.

O Governo adianta, na nota, que Oleg Belous era um “diplomata exemplar”, que “colocou com grande mestria a sua longa experiência e invulgares qualidades profissionais e pessoais ao serviço do reforço do relacionamento entre Portugal e Rússia”.

A sua ação diplomática contribuiu de forma muito significativa para aprofundar a cooperação e estreitar os laços de amizade entre os nossos dois países”, refere ainda o MNE.