A fotografia foi captada ao final de mais um dia de combate às chamas na região de Oliveira de Frades, em setembro de 2020. Já de noite, com o céu iluminado pelo fogo, uma família recolhia-se no carro enquanto não podia voltar à sua casa. "Já tinha o meu serviço praticamente feito, mas decidi ficar, porque havia aldeias ameaçadas. E, estando em risco, a gente fica para ver até que ponto aquilo tem alguma gravidade ou não", recorda o fotojornalista.

"Já fotografei muitos incêndios mas esta imagem é especial", conta Nuno André Ferreira à TVI24. "Temos aquela criança, com um olhar meigo e ingénuo, e depois, à volta dela, é o terror."

Difundida na altura pela Agência Lusa e publicada em vários órgãos de comunicação, a fotografia está agora nomeada na categoria de "Notícias" (Spot News) dos prémios anuais da World Press Photo, os mais importantes prémios internacionais de fotojornalismo.

Os nomeados para a edição relativa a 2020 foram divulgados esta quarta-feira e entre eles está apenas um português: Nuno André Ferreira, de 41 anos. Nasceu em Leiria, estudou Jornalismo em Coimbra e rapidamente decidiu que, mais do que aparecer na televisão ou escrever notícias em jornais, queria mesmo era captar a realidade através da sua máquina fotográfica. Trabalha como fotojornalista desde 2006, a partir de Viseu, onde colabora com vários meios locais e nacionais, incluindo a Agência Lusa.

Se é verdade que na maior parte das vezes o interior do país só é notícia "quando há desgraças ou visitas dos governantes", Nuno André Ferreira acredita que "há sempre boas histórias para contar em todo o lado, basta querer e procurar". E é isso que procura fazer. Mesmo que, por vezes, como acontece com os incêndios, sinta o perigo muito perto.

"Nós também temos a nossa missão, que é esta: é mostrar, é andar na rua. É quase como ter uma guerra e não ter ninguém a cobri-la, porque ficámos em casa com medo. Podemos ter medo, devemos ter, porque o medo acaba por ser um aliado para nos podermos salvaguardar, mas a nossa missão é esta. É tentar chegar às pessoas que não estão lá, é tentar transmitir alguns sentimentos, é tentar levar as emoções, é mostrar no dia a seguir às pessoas aquilo que tu viste e presenciaste", resume.

Em 2019, Nuno André Ferreira venceu o Prémio Rei de Espanha de Jornalismo, com a fotografia "O Nosso Presidente Marcelo", publicada pela agência Lusa em 19 de outubro de 2017.

Agora está nomeado pela primeira vez para os Prémios World Press Photo. A fotografia do português está entre as seis finalistas na categoria de "Notícias" e os vencedores serão anunciados a 15 de abril. "Sinceramente, já estou feliz o suficiente só por estar nomeado", comenta Nuno André Ferreira.

Maria João Caetano / Com Lusa