Foi de forma silenciosa que Carlos Santos Silva regressou ao Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa. No segundo dia de interrogatório, o alegado "testa de ferro" de José Sócrates deverá falar sobre o apartamento onde antigo primeiro-ministro viveu em Paris.

Depois de ter afirmado que os 23 milhões de euros que tinha na Suíça eram seus, Carlos Santos Silva poderá ser inquirido acerca da casa onde José Sócrates viveu na capital francesa.

Na fase de instrução a Carlos Santos Silva estão também presentes os advogados de José Sócrates e de Ricardo Salgado (também arguidos na Operação Marquês). Pedro Delille e Francisco Proença de Carvalho falaram à entrada para o TIC.

Estão a tentar sequestrar a justiça", afirmou Pedro Delille, referindo-se à comunicação social.

 

Santos Silva é acusado de 33 crimes entre os quais corrupção passiva e ativa, branqueamento de capitais, falsificação de documentos, fraude fiscal e fraude fiscal qualificada.

/ AG