O juiz Ivo Rosa voltou a dar razão à defesa de um dos arguidos do processo Marquês. O magistrado aceitou o pedido de Joaquim Barroca para não ter qualquer caução como medida de coação.

O administrador do Grupo Lena tinha uma caução de 400 mil euros. O Ministério Público sugeriu 200 mil, a defesa contestou e agora o juiz decidiu favorável à defesa.

Já o tinha feito antes com Armando Vara, ao recusar a caução de 300 mil euros. Neste caso o ministério público recorreu da decisão do juiz para o Tribunal da Relação, procedimento que deverá repetir com Joaquim Barroca.