Dois homens e uma mulher foram detidos na terça-feira em Sintra, distrito de Lisboa, numa operação que a PSP acredita ter cessado a atividade de um grupo de tráfico de droga que atuava sobretudo no Alentejo, foi hoje anunciado.

Os homens detidos têm 30 e 50 anos e a mulher 46.

De acordo com o comunicado da polícia, dois dos suspeitos foram detidos em flagrante delito em Sintra, por estarem na posse de droga.

A terceira detenção ocorreu “mediante um mandado de detenção emitido pela autoridade judiciária, também na zona de Sintra, por o suspeito estar suficientemente indiciado” de tráfico de droga na investigação, já com vários meses.

A PSP indicou que “estes suspeitos estariam a dar continuidade à atividade delituosa em virtude de os seus anteriores fornecedores terem sido detidos, no âmbito do mesmo inquérito, em dezembro de 2018 e janeiro de 2019, no total de sete suspeitos”.

A polícia acredita que com esta investigação tenha sido possível acabar com um crime de “enorme expressão” naquela zona, “um polo ativo onde semanalmente se deslocavam centenas de consumidores a fim de adquirir estupefaciente”.

A atividade do grupo “contendia seriamente com o sentimento de segurança da população local”.

Na terça-feira, foram efetuadas três buscas domiciliárias e uma busca não domiciliária nos concelhos de Sintra e Amadora (também no distrito de Lisboa), locais onde os suspeitos residiam e guardavam a droga, ainda que a atividade criminosa fosse maioritariamente desenvolvida na zona do Alentejo.

Das buscas domiciliárias resultou a apreensão de várias doses de heroína, cocaína, ecstasy e produto indeterminado, uma pistola, uma arma de fogo, uma arma branca, munições e cartuchos de variados calibres e 3.640.00 euros.

Dois dos suspeitos detidos na terça-feira ficaram sujeitos a termo de identidade e residência e o terceiro, já com antecedentes criminais por tráfico de droga, ficou sujeito à medida de coação de apresentações diárias na esquadra da área de residência, proibição de se ausentar do país, proibição de frequentar a zona de Setúbal e Alentejo, proibição de contactos com os demais arguidos e obrigação de entrega do passaporte.