A Ordem dos Enfermeiros acusou, nesta sexta-feira, o Hospital de Barcelos de obrigar os profissionais de saúde a fardarem-se e desfardarem-se num pavilhão desportivo, situado a “cerca de 200 metros” de distância das instalações hospitalares.

É uma situação que não garante segurança a profissionais e utentes e que põe em causa a dignidade pessoal daqueles profissionais”, disse à Lusa o presidente da Secção Regional Norte da Ordem dos Enfermeiros, descrevendo deslocações “à chuva e ao frio”, num parque com um piso em terra batida, com a roupa com que estiveram em serviço.

O presidente do Conselho de Administração do Hospital de Barcelos, Joaquim Barbosa, confirmou a situação mas adiantou que “muito em breve” os profissionais de saúde já disporão de um “vestiário central”, nas instalações do hospital.

É bom lembrar que esta situação tem riscos associados de infeção”, referiu a Ordem, dizendo que a situação dura desde março.

O presidente do Conselho de Administração do hospital disse que o novo pavilhão ficará a uns “20 metros” e que essa foi a solução encontrada no início da pandemia, face à exiguidade e aos “muitos constrangimentos físicos” das instalações do hospital.

Reconhecemos que é uma alternativa que está longe de ser a ideal e a mais adequada, mas foi o que se conseguiu arranjar na altura”, acrescentou.

Lembrou ainda que, durante muito tempo, o pavilhão esteve fechado à atividade desportiva, designadamente ao hóquei em patins, por causa da pandemia de covid-19, pelo que era apenas utilizado pelos profissionais de saúde.

/ CM