Afonso tem seis meses, e aos três foi-lhe diagnosticado uma plagiocefalia posicional, uma condição que afeta 100 em cada mil bebés em Portugal.

A doença faz com que o crânio da criança seja assimétrico, e pode ser causada por uma má posição no útero ou até por um torcicolo.

A cabeça dele está mais achatada no lado esquerdo, o que fez com que tudo viesse para a frente", explica a médica que o acompanha.

Para Afonso, a solução passa pela utilização de uma ortótese, uma banda craniana, que custa cerca de três mil euros, que vai corrigir a posição.

A falta de correção deste problema pode levar a problemas graves na audição.

Só no Hospital de São João, no Porto, onde Afonso está a ser acompanhado, são diagnosticados 50 casos por ano.

Lígia Marta