O tribunal de Marco de Canaveses considerou que os seis arguidos detidos, terça-feira, na operação de combate ao tráfico de droga na cadeia de Paços de Ferreira, estão "fortemente" indiciados por "tráfico de estupefacientes agravado".

Numa comunicação da Procuradoria-Geral Distrital do Porto do Ministério Público (MP), refere-se que os seis arguidos ouvidos na quarta-feira, no tribunal de Marco de Canaveses, estão ainda indiciados por outros crimes, nomeadamente cinco por corrupção passiva, um por corrupção ativa e outro por extorsão agravada.

Todos os ilícitos, segundo o MP, são reportados à alegada "introdução de produto estupefaciente em estabelecimento prisional".

Após serem ouvidos no Juízo de Instrução Criminal, do Tribunal Judicial da Comarca do Porto Este, Marco de Canaveses, foi determinado que quatro dos arguidos (três guardas prisionais e um ex-recluso) vão aguardar julgamento em prisão preventiva.

Outros dois arguidos, que são guardas prisionais, foi aplicada a suspensão do exercício da função e a proibição de permanecer ou frequentar o estabelecimento prisional. Ficaram também proibidos pelo tribunal de contactar com os outros arguidos.

Na terça-feira, a Polícia Judiciária (PJ) deteve nove pessoas, entre as quais cinco guardas prisionais, dois deles com funções de chefia, no âmbito da investigação "Entre-Grade" de combate ao tráfico de estupefacientes na cadeia de Paços de Ferreira.