A Direção-Geral de Saúde (DGS) publicou, nesta quarta-feira, uma atualização das orientações para o acesso e funcionamento das creches, creches familiares e amas, na qual anuncia o regresso dos encarregados de educação ou pessoa por ele designado às instalações, desde que cumpram as regras de distanciamento físico e da utilização de máscara.

"No acesso às instalações do encarregado de educação ou pessoa por ele designado na entrega/receção da criança ou de outras pessoas devidamente habilitadas (ex. fornecedores de bens e serviços), deverá respeitar-se o distanciamento físico, evitar-se aglomerados e está recomendada a utilização de máscara facial", pode ler-se no comunicado.

No mesmo documento, a DGS recomenda ainda a definição de "um número de crianças por sala" que "maximize o distanciamento entre as mesmas (...) quando estão em mesas, berços e/ou espreguiçadeiras".

"No caso das creches em que as crianças não tenham a locomoção adquirida e necessitem de estar em berços, espreguiçadeiras, ou outro equipamento de conforto para o efeito, deverá garantir-se a existência de um equipamento por criança, e esta deverá utilizar sempre o mesmo", pode ler-se ainda.

Caso não seja possível garantir um equipamento por criança, a DGS recomenda que "seja realizada a adequada limpeza e desinfeção das superfícies entre cada utilização, com produtos adequados".

Além disso, "as crianças e funcionários devem ser organizados em salas fixas", e "a cada funcionário deve corresponder apenas um grupo" de crianças.

Deve ser assegurada ainda "uma boa ventilação dos espaços, preferencialmente com ventilação natural, através da abertura de portas ou janelas", acrescenta-se no documento, que prevê também a "utilização de ventilação mecânica de ar (sistema AVAC – Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado)", desde que seja "garantida a limpeza e manutenção adequada" dos equipamentos".

Devem ser organizados também "horários e circuitos de forma a minimizar o cruzamento entre pessoas" para evitar o contágio do SARS-CoV-2.

Beatriz Céu