Mais três funcionárias da valência de apoio domiciliário do Centro Social Serra do Alecrim, em Alcanede, Santarém, testaram positivo à covid-19, elevando para 12 o número de pessoal infetado, a que se juntam dois utentes, disse fonte do município.

O presidente da Câmara Municipal de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), disse hoje à Lusa que os testes realizados esta semana revelaram a existência de mais três casos entre as funcionárias, sendo que, dos testes realizados a 30 utentes que beneficiavam de apoio domiciliário, foram conhecidos os resultados de 18, dois dos quais deram positivo.

Segundo o autarca, os resultados dos restantes 12 devem ser conhecidos hoje, sendo que os testes realizados aos utentes da valência residencial deram todos resultado negativo.

As 12 funcionárias da valência de apoio domiciliário do Centro Social Serra do Alecrim prestavam apoio a 31 idosos, um dos quais acabou por morrer no passado dia 24, suspeitando-se que possa ter estado na origem do surto.

Por outro lado, Ricardo Gonçalves afirmou que, na quarta-feira, foram conhecidos os resultados dos testes realizados a um grupo de pessoas que participaram no fim de semana numa festa de despedida de solteiro, na freguesia da Várzea, com uma dezena a testarem positivo.

“Estão todos em casa, a ser seguidos pelas autoridades de saúde e já não haverá casamento no próximo fim de semana”, disse o autarca.

O coordenador municipal da proteção civil, José Guilherme, lamentou, em declarações à Lusa, o incumprimento das regras que visam a redução do contágio em vários grupos populacionais, alertando para a importância dos comportamentos preventivos.

Questionado sobre a situação nas escolas do concelho, Ricardo Gonçalves afirmou que foram registados casos positivos em dois alunos, um da escola secundária Ginestal Machado e outro do 9.º ano da EB 2,3 Alexandre Herculano, aguardando as respetivas turmas em casa pelo resultado dos testes.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos e mais de 33,7 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

/ LF