A ilha de São Miguel, nos Açores, registou nas últimas 24 horas 21 novos casos positivos de covid-19, em contexto de transmissão comunitária, e mais 18 doentes recuperaram da doença, anunciou esta quinta-feira a Autoridade de Saúde Regional.

De acordo com o comunicado diário da entidade, a Ribeira Grande é o concelho que continua a registar maior número de novos casos diários, contabilizando esta quinta-feira 13 novos doentes, 10 dos quais em Rabo de Peixe, um na Ribeirinha, um no Pico da Pedra e um na Conceição.

No concelho de Ponta Delgada há um novo caso em São Pedro e no concelho de Vila Franca do Campo há seis novos casos (três em Água de Alto e três em São Pedro) e no Nordeste há um novo caso, na Lomba da Fazenda.

A Autoridade de Saúde adianta ainda que foram realizadas, nas últimas 24 horas, "2.382 análises nos laboratórios de referência da região" e "registou-se um total de 18 recuperações" na ilha de São Miguel.

Hoje estão internados seis doentes, todos no Hospital do Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, onde se mantém um doente em Unidade de Cuidados Intensivos (UCI).

A região conta com 239 casos positivos ativos, sendo 234 em São Miguel, quatro na Terceira e um em São Jorge.

Há uma cadeia de transmissão ativa na Terceira e extinguiram-se 202 até ao presente.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados nos Açores 5.279 casos positivos de covid-19, tendo recuperado da doença 4.880 pessoas e falecido 32.

Quanto ao Plano Regional de Vacinação, desde 31 de dezembro de 2020 e até 18 de maio, foram administradas nos Açores 100.505 doses de vacina contra a covid-19, correspondentes a 66.505 pessoas com 15 ou mais anos com a primeira dose, e 34.000 pessoas com ambas as doses", informou ainda a Autoridade de Saúde açoriana.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.419.488 mortos no mundo, resultantes de mais de 164,8 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 17.013 pessoas dos 843.278 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

. / JGR