A Ordem dos Enfermeiros (OE) considerou esta sexta-feira que o plano de vacinação contra a covid-19 se “adequa à realidade nacional”, mas alertou que a sua implementação implica uma sobrecarga para os serviços de saúde que “importa conhecer e acautelar”.

A Ordem dos Enfermeiros acompanha a estratégia recomendada, centrando a sua operacionalização e implementação na estrutura de vacinação existente no país, até pelas particulares condições em que esta campanha de vacinação será realizada”, referiu a estrutura representativa dos enfermeiros portugueses.

Na apreciação ao Plano de Vacinação enviada ao coordenador Francisco Ramos, a OE salientou que a decisão das vacinas contra a covid-19 serem administradas em unidades de saúde é “coerente com os princípios de segurança, adequação e qualidade na prestação de cuidados, particularmente exigíveis neste contexto”.

Sobre as equipas de vacinação, a ordem alertou que o plano “implica uma sobrecarga para os cuidados de saúde primários, com “importante impacto” na organização das equipas que “importa acautelar”.

A OE recomenda ainda a inclusão dos profissionais de saúde que estão afetos aos serviços profissionais entre os grupos prioritários a vacinar, considerando “essencial que a Direção-Geral da Saúde emita atempadamente as normas clínicas de acordo com as especificações e características de cada uma das vacinas” que estarão disponíveis em Portugal.

No que se refere aos postos de vacinação, a OE sugeriu que, além do alargamento dos horários, sejam convertidas as áreas das consultas externas dos hospitais para a vacinação contra covid-19 aos fins de semana.

. / DA