Os profissionais do Serviço de Urgência (SU) do Centro Hospitalar Universitário de São João (CHUSJ), no Porto, estão a receber formação sobre um aparelho denominado de ‘Helmet’ (“capacetes respiratórios”), utilizados na ventilação de doentes com covid-19.

Enquadra-se numa capacidade alargada de resposta do hospital, que inclui este e outros dispositivos, e que, na lógica que sempre nos caracterizou de planeamento e antecipação das necessidades - desde a primeira vaga que assim vimos procedendo -, nesse contexto de antecipação, seria displicente não proceder à capacitação de todos os profissionais que podem vir a utilizar este equipamento, e é o que estamos a fazer neste momento”, disse à agência Lusa o coordenador da equipa covid do SU do Hospital de São João.

Para Nélson Pereira, “trata-se de um dispositivo que tem muito interesse neste tipo de doentes”, razão pela qual “se impõe dar formação a estes profissionais” do CHUSJ, pois era um dispositivo que o centro hospitalar não dispunha e que recebeu há “relativamente pouco tempo”.

“O ‘Helmet’ é um dispositivo de origem italiana que já tem alguns anos de utilização, mas que veio comprovar, de forma ainda mais sensível, o seu interesse na primeira vaga da pandemia covid, em Itália, onde, de facto, foi muito utilizado, e onde se verificou a sua grande utilidade nesse contexto”, sublinha o clínico.

Este dispositivo facilita a oxigenação e as trocas gasosas do organismo.

Trata-se de um dispositivo que permite administrar oxigénio em altas concentrações, ao mesmo tempo que fornece uma pressão positiva durante a inspiração e a expiração que é muito importante neste tipo de pneumonia, em que os alvéolos pulmonares estão, por assim dizer, mais rígidos, e que precisam desta pressão para se expandirem e facilitarem a oxigenação e as trocas gasosas do oxigénio pelo dióxido de carbono que normalmente acontece nos pulmões”, explica Nélson Pereira.

Portugal contabiliza pelo menos 3.381 mortos associados à covid-19 em 217.301 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

O país está em estado de emergência desde 09 de novembro e até 23 de novembro, período durante o qual há recolher obrigatório nos concelhos de risco de contágio mais elevado e municípios vizinhos. A medida abrange 114 concelhos, número que passa a 191 a partir de segunda-feira.

Durante a semana, o recolher obrigatório tem de ser respeitado entre as 23:00 e as 05:00, enquanto nos fins de semana a circulação está limitada entre as 13:00 de sábado e as 05:00 de domingo e entre as 13:00 de domingo e as 05:00 de segunda-feira.

/ BC