O índice médio de transmissibilidade (Rt) do vírus SARS-CoV-2 está nos 0,71 em Portugal continental, representando uma tendência decrescente de casos de covid-19, com exceção dos Açores e da Madeira, que apresentam um valor acima de 1.

Segundo um relatório do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA) hoje divulgado sobre a curva epidémica da infeção pelo novo coronavírus, todas das regiões apresentam um Rt a cinco dias abaixo de 1, com exceção das duas regiões autónomas, o que “sugere um claro decréscimo da incidência de SARS-CoV-2” no país.

No relatório anterior, divulgado a 26 de fevereiro, o Rt médio do país situava-se nos 0,68.

O INSA refere que o Rt de 1,15 estimado para a Madeira deve ser interpretado com “cautela, pois pode ser resultado de uma atualização da base de dados por introdução de casos ocorridos no passado”.

Por regiões e para os dias entre 24 e 28 de fevereiro, o relatório indica um Rt – o número médio de casos secundários que resultam de um caso infetado pelo vírus – de 0,72 para o Norte, de 0,63 para o Centro, de 0,68 para Lisboa e Vale do Tejo, de 0,73 para o Alentejo, de 0,79 para o Algarve e de 1,02 para os Açores.

Desde 11 de fevereiro que se observa uma tendência de estabilização do Rt, com um ligeiro aumento de 0,61 para 0,73, refere ainda o INSA, que recorda que o índice de transmissibilidade atingiu os 2,12 como valor mais alto durante a pandemia que se iniciou em março de 2020.

O mesmo relatório avança ainda que, a nível europeu, Portugal apresenta uma taxa de notificação acumulada de 14 dias entre os 120 e os 239.9 casos por 100 mil habitantes com tendência decrescente, estando na mesma situação que a Irlanda e o Reino Unido.

/ MJC