A PSP acabou esta sexta-feira com uma "festa ilegal" de casamento, com “mais de 100 pessoas”, num bairro de Beja e mantém agentes no local para impedir o recomeço dos festejos, revelou fonte policial.

Segundo a mesma fonte do Comando Distrital de Beja da PSP, a realização da festa, que juntava “mais de 100 pessoas”, foi impedida “por volta da hora do almoço”, num bairro situado na periferia da cidade alentejana.

Daquilo que a PSP apurou, o grupo de pessoas “tinha feito um casamento e estava a tentar começar a fazer uma festa ilegal na rua, a comer e a beber”, quando “elementos da PSP passaram no local e impediram que a festa continuasse”, por violar o atual estado de emergência do país e o período de confinamento geral em curso, devido à pandemia de covid-19.

Colocámos os carros patrulha e as equipas de intervenção rápida no bairro, a patrulhar, e fizemos cessar a festa”, explicando aos participantes que “estavam a violar o dever de recolhimento e que tinham de se deslocar para as suas casas”, contou a fonte.

As pessoas “acataram as ordens e foram para as suas casas”, assinalou a fonte da polícia, acrescentando que “a situação não envolveu qualquer conflito e não se registaram distúrbios”.

Ficou tudo sanado, as pessoas ficaram dentro de casa, porque era aí que tinham de permanecer”, até porque “há um surto de covid-19 ativo no bairro”, realçou a fonte.

No local, durante a tarde e até ao momento, permanecem elementos da PSP, nomeadamente “patrulhas e equipas de intervenção rápida” do Comando Distrital de Beja.

Temos à volta de 15 a 20 elementos no local e vamos manter-nos no bairro, apenas como prevenção, em patrulha, para impedir que a festa recomece”, frisou.

Segundo a polícia, ainda irá ser elaborado um auto de notícia da situação e, caso se justifique, serão instaurados as respetivas contraordenações.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.756.395 mortos no mundo, resultantes de mais de 125,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.819 pessoas dos 819.698 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ JGR