O concelho de Rio Maior vai continuar a realizar testes gratuitos à população, agora em horário mais alargado, e intensificar a testagem nas grandes empresas para despistar casos de infeção pelo novo coronavírus, disse o presidente do município.

Filipe Santana Dias, presidente da Câmara Municipal de Rio Maior (no distrito de Santarém), um dos sete autarcas dos municípios com maior incidência de casos de covid-19 que participaram hoje numa reunião com o Primeiro-Ministro, disse à Lusa que foi na sequência da testagem numa grande panificadora que foram detetados os 40 casos que fizeram disparar os números no concelho.

Segundo o autarca, o concelho vinha registando uma “descida abrupta” no número de infeções – de 647 em 1 de fevereiro para 15 em meados de março -, tendência que o surto na panificadora fez inverter, com o surgimento de casos igualmente na comunidade, contabilizando nos últimos dias à volta de 50.

Na segunda-feira, em colaboração com o Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria e a autoridade local de saúde, foram disponibilizados testes gratuitos a todos os que quisessem dirigir-se ao centro de vacinação da Cruz Vermelha, mas os números ficaram aquém do esperado, disse.

“Estávamos preparados para realizar perto de 600 testes, com três equipas disponíveis, mas apenas apareceram entre 150 e 160 pessoas. Foi pena não ter sido melhor aproveitado”, disse, admitindo que o facto de o horário coincidir com o expediente normal possa ter contribuído para a fraca adesão.

Assim, foi decidido manter a disponibilização de testes gratuitos num horário melhorado e acelerar a testagem nas grandes empresas do concelho, adiantou.

Santana Dias admitiu que isso fará crescer o número de casos, mas, sublinhou, “quanto mais cedo se souber, mais fácil será controlar”.

Dos testes realizados na segunda-feira, cinco foram encaminhados para confirmação através de testes PCR, adiantou.

Sobre a reunião com António Costa, o autarca disse ter ficado “agradado” com a iniciativa do Primeiro-Ministro e com o facto de este ter acolhido a sugestão de ser aumentado o patrulhamento e a fiscalização nos concelhos de maior risco – os que apresentam mais de 240 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias.

Santana Dias afirmou que, na sequência da reunião, recebeu um telefonema do comandante distrital da GNR, força com a qual o município vai agora trabalhar para serem identificados os locais onde se têm verificado concentrações de grupos em incumprimento das regras que visam a diminuição dos contágios.

No final da reunião realizada hoje, por videoconferência, com os autarcas de Alandroal, Carregal do Sal, Moura, Odemira, Portimão, Ribeira de Pena e Rio Maior, Costa anunciou que será reforçada a fiscalização pelas forças de segurança nos municípios com maior incidência de casos de covid-19 e intensificadas as inspeções às condições sanitárias de habitações temporárias de obras ou colheitas.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.862.002 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.887 pessoas dos 824.368 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

/ LF