Uma semana depois de os utentes terem tomado a segunda dose da vacina contra a covid-19, foi detetato um surto na Residencia Sénior de Belver, no concelho de Gavião, que conta neste momento com 32 infetados.

Dois dos utentes estão internados no Hospital de Abrantes e os restantes "encontram-se assintomáticos há mais de dez dias, o que nos faz acreditar que em breve a situação estará ultrapassada", diz à TVI24 Bruno Marques, Coordenador Operacional Municipal de Proteção Civil de Gavião.

Entretanto, a direção do lar confirmou à TVI que serão já três os utentes internados.

Os utentes do lar receberam a segunda dose da vacina no dia 27 de janeiro. No dia 1 de fevereiro (segunda-feira), percebendo que "um dos utentes tinha sintomas que podiam ser de covid-19, fez-se um teste rápido que acusou positivo". As autoridades de saúde decidiram então fazer testes rápidos em todos os utentes e foram detetados, no total, 23 casos positivos. Dois deles foram internados e os restantes, todos assintomáticos, foram isolados. 

Na instituição foram implementadas todas as medidas de segurança.

Os funcionários do lar realizam regularmente testes de despistagem. Quando, na terça-feira, chegaram os resultados dos testes realizados no dia 31 de janeiro (domingo) percebeu-se que uma funcionária também estava positiva para a covid-19. 

Finalmente, esta semana foram realizados testes PCR a funcionários e utentes e foram detetados mais oito casos positivos entre os utentes, todos assintomáticos. No total, o surto afetou 32 pessoas - 31 utentes e uma funcionária.

As autoridades de saúde acreditam que, muito provavelmente, os utentes do lar já estariam infetados quando levaram a segunda dose da vacina. A verdade é que após a primeira toma o organismo demora algum tempo a adquirir imunidade.

"Isso é algo que só os especialistas poderão dizer. Estamos a acompanhar este caso com muita atenção porque se trata de uma população idosa e com outras doenças mas estamos confiantes", diz Bruno Marques. "As pessoas internadas estão estáveis e todos os outros utentes estão assintomáticos." Na próxima segunda-feira, os primeiros 23 utentes irão fazer um teste PCR para poderem ter alta.

Maria João Caetano