João Paulo Gomes, do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge, revelou esta segunda-feira, na reunião do Infarmed, que a variante britância já representa cerca de 48% do número de casos ativos do país e alerta que esse número pode “subir exponencialmente” caso o desconfinamento seja apressado.

Esta variante, que já foi detetada em 87 países desde dezembro, apresenta uma tendência de domínio “do cenário epidemiológico dos países” onde entra, afirmou o especialista.

Os especialistas estimavam, no entanto, que 65% dos casos da covid-19 em Portugal fossem causados diretamente por esta variante, mas, “graças ao confinamento rígido”, esses números, neste momento, não ultrapassam os 48%.

Alerta, no entanto, que esta variante “não vai desaparecer” e apela a um desconfinamento cauteloso para que não haja um crescimento forte desta variante.

Em relação às outras variantes, nomeadamente as variantes conhecidas como sul-africana e brasileira, o perito do INSA referiu que se mantêm os quatro casos em Portugal associados à mutação detetada na África do Sul e que foi anunciada no domingo a deteção de sete casos da variante do Brasil, habitualmente reportada à região de Manaus.

Trata-se de casos recentes e esta informação foi passada imediatamente às autoridades de saúde. Apesar de se tratar de sete casos, não estamos a falar de sete introduções distintas; é uma única introdução, referimo-nos a dois ‘clusters’ familiares ligados entre si - uma mesma cadeia de transmissão. E isso é uma boa notícia”, salientou.

João Paulo Gomes revelou ainda que o INSA está a avançar com um novo rastreio massivo de sequenciação e que está a ser reforçada a capacidade instalada a este nível, com a extensão ao consórcio Genome PT. Paralelamente, indicou uma “modificação da estratégia”, que passa pelo envio semanal e não mensal de amostras de casos positivos, que serão sujeitos a uma nova testagem com sondas para mutações específicas.

Em Portugal, morreram 16.023 pessoas dos 798.074 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.