O Governo anunciou esta quinta-feira em Conselho de Ministros prolongar a situação de calamidade em território continental até ao dia 30 de maio, de forma a combater a pandemia.

De acordo com a ministra da Presidência, a resolução renova a situação de calamidade que já se aplica a todo o território continental. A atual situação de calamidade entrou em vigor em 1 de maio e, se não fosse renovada, terminaria às 23:59 horas deste domingo.

De acordo com Mariana Vieira da Silva, esta decisão tem como base a incidência da covid-19 por concelho em 12 de maio.

Quando olhamos para os níveis de incidência, comparando o início do processo de desconfinamento coma data mais recente, 12 de maio, assiste-se a um decréscimo muito significativo. Os níveis de incidência estão neste momento abaixo de 50 por cem mil habitantes a 14 dias, mais concretamente 48,7", apontou a ministra de Estado e da Presidência.

Já em relação ao nível de transmissão (o Rt), Mariana Vieira da Silva referiu que era de 0,78 em 09 de março, subiu para 1 em alguns momentos, "mas é neste momento de 0,92".

Isto faz com que o país, olhando para a matriz de risco definida, se encontre claramente num nível verde com uma evolução muito favorável. Neste sentido, temos condições para prosseguir um conjunto de medidas já aprovadas", acrescentou.

Veja também:

DESCONFINAMENTO: OS CONCELHOS QUE AVANÇAM OU RECUAM

Lara Ferin .