Os madeirenses têm estado desde manhã numa correria aos postos de testagem à covid-19 da cidade do Funchal, depois de o presidente do Governo Regional ter anunciado a obrigatoriedade de apresentação de teste na maior parte dos locais públicos e privados.

Cerca das 12:30, algumas centenas de pessoas faziam fila em frente aos vários postos de testagem das farmácias do centro do Funchal, o maior e principal município da região. Também as farmácias registavam uma afluência superior ao habitual.

O movimento regista-se um dia depois de o chefe do executivo regional (PSD/CDS-PP), o social-democrata Miguel Albuquerque, ter determinado a obrigatoriedade de apresentação cumulativa de certificado de vacinação e teste antigénio para frequentar a maioria dos recintos públicos e privados, face ao aumento do número de casos de covid-19.

Numa nota entretanto enviada pelo executivo, é explicado que, até ao dia 27 (sábado da próxima semana), será solicitado aos cidadãos apenas “a apresentação do certificado de vacinação ou do teste rápido antigénio” nos locais onde, depois dessa data, passarão a ser necessários os dois documentos. A medida, enuncia, aplica-se a setores ligados ao desporto, restaurantes, cabeleireiros, ginásios, bares e discotecas, eventos culturais, cinemas, atividades noturnas, jogos, casinos e outras atividades sociais similares.

No entanto, nem todas as farmácias do Funchal estão a conseguir garantir a testagem a quem não agendou, sendo que algumas têm as vagas esgotadas para os próximos dias.

Em frente ao edifício do município, num outro local de testagem, os testes acabaram antes das 13:00.

/ BMA