O papa Francisco pediu “a concórdia entre todos os povos”, na oração que fez na Capelinha das Aparições, no Santuário de Fátima, onde chegou esta tarde para as cerimónias que assinalam o Centenário das Aparições.

Repetindo as suas preocupações em relação aos conflitos que ocorrem em diversas partes do mundo, como “bispo vestido de branco”, pediu a Nossa Senhora para, “no mais íntimo” do seu “Imaculado Coração”, que veja “as dores da família humana que geme e chora neste vale de lágrimas”.

O Papa evocou, na ocasião, o exemplo dos beatos Francisco e Jacinta Marto, que no sábado serão canonizados no início da eucaristia no recinto do Santuário da Cova da Iria.

Percorreremos, assim, todas as rotas, seremos peregrinos de todos os caminhos, derrubaremos todos os muros e venceremos todas as fronteiras, saindo em direção a todas as periferias, aí revelando a justiça e a paz de Deus”, afirmou Francisco na sua oração.

Seremos, na alegria do Evangelho, a Igreja vestida de branco, da alvura branqueada no sangue do Cordeiro derramado ainda em todas as guerras que destroem o mundo em que vivemos”, acrescentou.

Francisco fez esta oração depois de ter rezado perante a imagem de Nossa Senhora de Fátima durante perto de oito minutos, ao longo dos quais os milhares de peregrinos presentes no santuário, tal como o Papa, se mantiveram em silêncio.

Santuário emocionado e efusivo

Um mar de gente emocionada recebeu o Papa Francisco no Santuário de Fátima. Os sinos começaram a tocar a rebate assim que o papamóvel se aproximava do local.

Ao longo do trajeto de pouco mais de quatro quilómetros, entre o estádio de Fátima e o Santuário, foram também milhares, as pessoas que aplaudiram o Papa nas bermas da estrada.

O Papa Francisco chegou ao Santuário no papamóvel quando eram 18:14, hora de Portugal continental.

Francisco dirigiu-se de seguida para a Capela das Aparições, onde esteve em recolhimento, perante o silêncio total dos milhares de peregrinos presentes no Santuário.

Antes, foram também milhares as pessoas que olhavam para os céus, quando o helicóptero da Força Aéra Portuguesa, vindo da base de Monte Real, aterrou no estádio de Fátima às 17:45.

A esperá-lo, após ter chegado de carro, estava uma vez mais, o Presidente da República Portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa.

Chegada a Portugal

O avião com o Papa Francisco aterrou na base de Monte Real às 16:10 e foi aplaudido pelos peregrinos no Santuário de Fátima, que seguiam a par e passo a viagem, através dos meios de comunicação social.

O primeiro contacto do Papa Francisco com portugueses decorreu com familiares de militares e funcionários da Base Aérea de Monte Real, onde aterrou, interagindo sobretudo com crianças e pessoas com deficiência.

Francisco demorou-se depois a cumprimentar crianças, algumas das quais com necessidades especiais, que beijou e tocou nas faces com as suas mãos.

VEJA EM DIRETO: a chegada do Papa a Fátima

A aguardar o pontífice, na base, estava o Presidente da República, o primeiro-ministro e o presidente da Assembleia da República, além do Núncio Apostólico, Rino Passigato, do presidente da Conferência Episcopal Portuguesa, Manuel Clemente, e do bispo da Diocese de Leiria, António Marto.

Francisco disse aos 69 jornalistas que seguiram no voo papal que a viagem a Fátima é “algo especial, de oração” e de “encontro com o Senhor e com a santa mãe de Deus”.

A curta mensagem à imprensa foi feita menos de uma hora após a partida do aeroporto de Fiumicino.

O avião do Papa partiu do aeroporto de Fiumicino, perto de Roma, às 14:12 locais (13:12, hora de Lisboa) e entrou no espaço aéreo português às 15:43.

A visita a Fátima é a 19.ª viagem internacional de Francisco, cujo pontificado começou em março de 2013. Até à data, o pontífice visitou um total de 27 países. Portugal será o 28.º país a receber a visita do Papa Francisco.

O papa Francisco e o Presidente da República reuniram-se a sós durante cerca de dez minutos na Base Aérea de Monte Real. Nem o papa Francisco, nem Marcelo Rebelo de Sousa prestaram declarações à comunicação social após esta reunião, que decorreu numa sala do edifício da Torre de Controlo da Base Aérea de Monte Real.

No final do encontro, o presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, e o primeiro-ministro, António Costa, entraram também na sala para uma troca de cumprimentos com o líder da Igreja Católica.

Mas o Papa tem novo encontro marcado com António Costa, no sábado. Já esta sexta-feira, o primeiro-ministro disse esperar que a visita constitua "24 horas de grande alegria e partilha", considerando o líder da Igreja Católica uma referência para crentes e não crentes.

É com grande alegria que recebemos em Portugal o papa Francisco, uma referência certamente para os crentes, mas uma referência para todos aqueles que acreditam nos valores da paz, nos valores da humanidade, nos valores da dignidade da pessoa humana", afirmou António Costa num vídeo divulgado nas redes sociais.

Francisco estará esta sexta-feira e sábado em Fátima para celebrar o centenário das "aparições" de 13 de maio de 1917 e para canonizar os beatos Francisco e Jacinta Marto.

O líder da Igreja Católica é quarto Papa a visitar Fátima. Os anteriores papas que estiveram em Fátima, o maior templo mariano do país, foram Paulo VI (1967), João Paulo II (1982, 1991, 2000) e Bento XVI (2010).

/ atualizada às 21:09