Um mar de luz, de velas acesas, que se espraiou pelas ruas em volta do Santuário - dado aos muitos que ali não conseguiram aceder - ouviu na noite de sexta-feira, o Papa Francisco questionar os católicos sobre qual a Maria com quem e por quem peregrinam.

A Bendita por ter acreditado (…) ou (…) a ‘Santinha’ a quem se recorre para obter favores a baixo preço?”, questionou o Para Francisco, para quem os cristãos devem ser, antes de mais, “marianos”.

Perante milhares de pessoas reunidas na benção que antecede a procissão das velas, Francisco lembrou também “cada um dos deserdados e infelizes a quem roubaram o presente” e os “excluídos e abandonados a quem negam o futuro”.

Perante milhares de peregrinos que assinalam o Centenário das Aparições, na véspera da canonização dos pastorinhos Jacinta e Francisco Marto, o Papa exortou ainda os católicos a serem misericordiosos.

Devemos antepor a misericórdia ao julgamento e, em todo o caso, o julgamento de Deus será sempre feito à luz da sua misericórdia”, disse Francisco.

A misericórdia de Deus não nega a justiça, porque Jesus tomou sobre Si as consequências” do pecado da humanidade “juntamente com a justa pena”, afirmou o Papa.

Na Capelinha das Aparições, junto à imagem de Nossa Senhora de Fátima, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio apelou aos peregrinos que ponham de lado “qualquer forma de medo e temor, porque não se coaduna” com “quem é amado”.

Possamos, com Maria, ser sinal e sacramento da misericórdia de Deus que perdoa sempre, perdoa tudo”, disse o Papa.

Já depois de deixar o recinto do Santuário, o Papa partilhou uma mensagem simples, a primeira desde que chegou a Fátima.

Acompanhe em direto a visita do Papa a Fátima

Primeiro dia em Fátima

Francisco está desde a tarde de sexta-feira no Santuário de Fátima para presidir às cerimónias do Centenário das Aparições e canonizar, na manhã de sábado, os ainda beatos Francisco e Jacinta Marto.

Ao chegar, o Papa Francisco esteve na Capelinha das Aparições em recolhimento. Falou depois aos crentes pedindo “a concórdia entre todos os povos”.

À noite, às 21:00 saiu da Casa Nossa Senhora do Carmo, onde pernoitará, e caminhou parte do trajeto até à Capelinha das Aparições, onde chegou às 21:14, para a bênção das velas.

No trajeto, beijou algumas crianças e cumprimentou fiéis, mostrando boa disposição, partilhada pelo bispo de Leiria-Fátima, António Marto, que o acompanhava.

Quando o Papa entrou no recinto, iluminou-se, pela primeira vez, o terço gigante da autoria de Joana Vasconcelos, colocado junto à Basílica da Santíssima Trindade.

O Papa Francisco deixou mais tarde, cerca das 22:25, a Capelinha das Aparições, após a bênção das velas e da recitação do terço.

Dezenas de bandeiras das mais diversas nações, assim como a luz de milhares de velas, coloriram o trajeto de Francisco.