O comandante do Destacamento de Tomar da GNR lançou um apelo aos cidadãos que se deslocam a Fátima a 12 e 13 de maio para evitarem a utilização da autoestrada 1 (A1).

Aconselhamos, a quem se dirija a 12 e 13 de maio [a Fátima], que evite a A1", frisou o comandante Carlos Canatário, elencando como alternativas a autoestrada 23 (A23), a autoestrada 13 (A13) e o itinerário complementar 9 (IC9).

Todas as pessoas que venham de qualquer quadrante têm a possibilidade de utilizar estes itinerários alternativos", acedendo depois a estradas nacionais para Fátima, explanou.

Carlos Canatário frisou a necessidade de as pessoas "prepararem bem a viagem e escolherem os itinerários recomendados pelas autoridades" para que a aproximação "a Fátima seja o mais fluída possível".

Quem está habituado a vir há 20 anos a Fátima" tem de verificar "a informação e ver se o local para estacionar ou o percurso é o melhor para aceder a Fátima", referiu o comandante do destacamento de Tomar.

O comandante da GNR falou à comunicação social durante a apresentação da sala de controlo do Posto Territorial de Fátima. Aí estará o comando da operação de segurança preparado para a visita do Papa no centenário das Aparições, incluindo as imagens dos sistemas de videovigilância instalados.

Carlos Canatário vincou também que a 12 e 13 de maio "é possível aceder à cidade de Fátima", havendo apenas a interdição de circulação na área da Cova da Iria, delimitada pelas avenidas Beato Nuno e a Papa João XXIII, vias que ligam as duas grandes rotundas da cidade (Norte e Sul).

Durante todo o tempo da operação é possível aceder a este itinerário de viatura", sendo que poderá haver "interdições temporárias" para descongestionar o trânsito em alguns locais.

No entanto, sublinhou, "é possível aceder a Fátima e ao perímetro externo da Cova da Iria".

As interdições para o interior da Cova da Iria vão estar em vigor entre as 9:00 de 12 de maio e as 18:00 de dia 13, os dois dias em que Papa Francisco visita Fátima, no âmbito do Centenário das Aparições.